31 de janeiro de 2008

A irreverência de Maria Alcina

Um comentário:

Anônimo disse...

Transgressora e irreverente sempre!!!
Bravos!!!